REUNIÃO DA FRENTE PARLAMENTAR DEBATE ACESSIBILIDADE NO TRANSPORTE PÚBLICO

Na manhã desta segunda – feira (14/03), o presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Porto Alegre, vereador Alvoni Medina (REP), presidiu uma reunião presencial para tratar dos problemas decorrentes da falta de acessibilidade no transporte público da Capital. Participaram do debate os vereadores Leonel Radde, Cláudia Araújo e Daiana dos Santos, o presidente do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência (COMDEPA), Nelson Khalil, a dirigente do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública, Dra Aline Guimarães e o presidente da FADERS Acessibilidade e Inclusão, Marquinho Lang. Também, estiveram participando da reunião os representantes da EPTC, Carris, Mob, Trevo e da secretaria municipal do Desenvolvimento Social.

Logo no início o vereador Alvoni Medina, destacou a importância do tema e esclareceu que a reunião foi uma solicitação do Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência, e exibiu uma gravação do flagrante de uma ocorrência de falta de acessibilidade nos ônibus, sofrida pelo próprio presidente do COMDEPA. “Não podemos ficar isentos quando o assunto é acessibilidade. Infelizmente, as pessoas com deficiência vivem em Porto Alegre uma rotina em que calçadas apresentam obstáculos e os elevadores dos veículos, que deveriam atendê-los, na maioria das vezes não funcionam”, salientou Medina.

Em relato emocionado, o presidente do COMDEPA, Nelson Khalil, descreveu inúmeras ocorrências de falta de acessibilidade no transporte público, muitas vivenciadas por ele mesmo, e outras denunciadas ao conselho municipal. “As pessoas com deficiência estão preferindo ficar em casa, para não passar pelo constrangimento de não conseguir utilizar o seu direito de ir e vir, assegurado pela Constituição Federal”, desabafou Khalil.  

Ainda, durante a reunião, a vereadora Cláudia Araújo também exibiu duas gravações de flagrantes feitas pelas mães que diariamente utilizam o transporte do município para os atendimentos de reabilitação dos filhos. “Essa é uma triste realidade enfrentada diariamente por essas mães”, comentou a vereadora.

Já a dirigente do Núcleo de Defesa dos Direitos Humanos da Defensoria Pública, Dra Aline Palermo Guimarães, enfatizou a importância da união de esforços para soluções consensuais e dialogadas para a resolução destas ocorrências no transporte público. “Infelizmente temos uma proposta de acessibilidade formal, mas que não se concretiza no dia a dia da pessoa com deficiência”, explicou a defensora.

Durante a reunião, as empresas Mob, Trevo e Carris, apresentaram o diagnóstico da frota acessível do município, e as capacitações desenvolvidas para melhoria da prestação do serviço. “Atualmente, Porto Alegre tem 92% da frota de ônibus acessível. Acreditamos que no máximo em 1 ou 2 anos, 100% da frota terá acessibilidade”, explicou Flávio Tumelero, gerente de Planejamento de Transportes da EPTC. Na ocasião, Tumelero também apresentou os percentuais negativos de falta de acessibilidade nos ônibus, provocados por problemas nos elevadores dos veículos. “Estamos trabalhando para minimizar estes percentuais negativos, o número mais preocupante é da Zona Leste que representa 8,5%”, explicou o gerente.

Ao término da reunião, foi encaminhada a sugestão da promoção de campanhas e capacitações na área da mobilidade e acessibilidade, bem como a viabilidade da destinação de emendas parlamentares para projetos também voltados para a acessibilidade atitudinal.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s